página principal

“Pinta uma Imagem de acordo com o modelo que estás vendo,
com a inscrição: Jesus, eu confio em Vós” (Diário, 47).

“Eu mesmo te darei muitas ordens diretamente,
mas atrasarei e farei depender de outros a possibilidade
de execução das mesmas. (...) deves saber, Minha filha,
que esse sacrifício durará até a morte” (Diário, 923).

 

HISTÓRIA DA IMAGEM DE JESUS MISERICORDIOSO


ZD

A casa onde foi pintada a primeira imagem de Jesus Misericordioso em Vilna (Vilnius, Lituânia).
Ao longe, a igreja que as autoridades soviéticas transformaram em prisão, ativa até 2008.


O padre Sopocko confiou a pintura da imagem de Jesus Misericordioso no início de 1934 ao pintor de Vilna Eugênio Kazimirowski. A residência do pe. Sopocko e a residência e o ateliê de pintor localizavam-se no mesmo prédio. Durante a pintura da imagem, ao menos duas vezes por semana a Irmã Faustina – que durante todo o período da pintura imagem permaneceu em Vilna (Vilnius, Lituânia) (veja Casa d Congregação) – ia ao ateliê a fim de fornecer orientações e sugerir detalhes relacionados com a aparência da imagem.
O padre Sopocko cuidou pessoalmente que a imagem fosse pintada exatamente de acordo com as orientações da religiosa. A tela em que havia ordenado a pintura da imagem de Jesus Misericordioso foi por ele adaptada às dimensões de uma velha moldura que anteriormente lhe havia sido presenteada por uma paroquiana. A pintura se estendeu por cerca de seis meses, e quando o quadro já estava pintado e pronto para ser exposto, o pe. Sopocko, querendo ainda certificar-se quanto à legenda que nele devia figurar, pediu a Irmã Faustina que se informasse a esse respeito com Jesus Cristo: (Veja Recordações - pe. Miguel Sopocko)

“Em determinado momento, o confessor perguntou-me como deveria ser colocada essa inscrição, visto que tudo isso não cabia nessa imagem. Respondi que rezaria e responderia na semana seguinte. Quando saí do confessionário e estava passando diante do Santíssimo Sacramento, recebi a compreensão interior de como devia ser essa inscrição. Jesus me lembrou o que tinha dito na primeira vez, isto é, as palavras que devem ser salientadas: JESUS, EU CONFIO EM VOS” (Diário, 327).

A inscrição ditada, que constitui um elemento essencial da integridade do culto transmitido,
foi elaborada pelo pe. Sopocko numa placa adicional e por ele localizada na parte inferior
da imagem. A seguir, atendendo a uma explícita exigência de Jesus Cristo, transmitida pela irmã Faustina, o pe. Sopocko deu início aos empenhos para expor a imagem na igreja de Santo Miguel, em Vilna, da qual ele era reitor. Em razão disso, no dia 4 de abril de 1937, com a autorização do metropolita de Vilna (Vilnius, Lituânia), o arcebispo Romualdo Jalbrzykowski, e após uma opinião positiva dos peritos, a imagem de Jesus Misericordioso foi exposta na igreja de Santo Miguel em Vilna, onde por cerca de onze anos lhe devotaram a grande veneração que lhe cabia.

Em 1941 uma outra comissão de peritos, convocada a pedido do metropolita, declarou que “essa imagem foi executada artisticamente e constitui um precioso patrimônio da arte religiosa contemporânea”. (Protocolo da Comissão encarregada da avaliação e conservação da imagem do Salvador Misericordiosíssimo na igreja de S. Miguel em Vilna, do dia 27 de maio de 1941, assinado pelos peritos: professor de história da arte dr. M. Morelowski, professor de dogma pe. dr. L. Puchaty e conservador pe. dr. P. Sledziewski).


Imagem na igreja de Santo Miguel (1937-1948).


Em 1948, depois que as autoridades comunistas fecharam a igreja de Santo Miguel, a imagem
(sem a moldura a inscrição nela presente) foi comprada de forma clandestina e ilegal de um operário lituano que estava retirando os elementos decorativos do santuário. Essa transação foi realizada por duas mulheres (uma polonesa e uma lituana), que tinham consciência das consequências que isso lhes podia acarretar da parte das autoridades soviéticas. Elas retiraram da igreja a imagem enrolada e por algum tempo a esconderam num sótão, esperando passar o tempo das eventuais ameaças. Mais tarde elas entregaram a imagem à igreja do Espírito Santo, onde havia sido depositado também todo o patrimônio móvel da igreja que fora fechada. O pároco da igreja do Espírito Santo, pe. João Ellert, não se mostrou interessado em ficar com a imagem nem em expô-la, e então escondeu-a num arquivo nos fundos da igreja.

Somente em 1956 o pe. José Grasewicz, amigo do pe. Sopocko, que havia voltado a Vilna após alguns anos de prisão num campo de trabalhos forçados soviético, decidiu reencontrar a imagem. Antes disso, estabeleceu contato com o pe. Sopocko, que estava muito preocupado porque até então não havia descoberto onde se encontrava a imagem de Jesus Misericordioso. O padre Grasewicz obteve autorização voltar ao trabalho pastoral na paróquia de Nowa Ruda. Antes de partir de Vilna, pediu ao pároco da igreja do Espírito Santo que entregasse a imagem à sua paróquia, o que o pároco fez de bom grado. O padre Grosewicz levou a imagem a Nowa Ruda e a expôs na igreja, mantendo segredo a respeito da sua origem.

Naquele mesmo período o pe. Sopocko considerou a possibilidade de trazer a imagem à Polônia, no entanto deixou de se empenhar por isso quando se verificou que essa operação seria perigosa. Apesar das muitas mudanças na administração da igreja de Nowa Ruda (Bielorrússia), a imagem permaneceu nela por cerca de trinta anos.


A imagem na igreja de Nowa Ruda, na atual Bielorrússia (1956-1986).

Aspecto atual da igreja em Nowa Ruda


Em 1970, as autoridades de Nowa Ruda decidiram transformar a igreja num depósito.
Os pertences da igreja liquidada haviam sido levados a uma outra paróquia. A imagem, localizada no alto, em razão de um motivo aparentemente fútil (falta de uma escada alta), permaneceu na igreja. O padre Sopocko, preocupado com esse acontecimento, por estar na Polônia nada pôde fazer a respeito. O padre Grosewicz também não tinha a possibilidade de atender ao pedido do pe. Sopocko – de transportar a imagem para um outro lugar seguro. Ele teve de deixar a paróquia e nenhum padre na Bielorrússia teve a coragem de aceitar a imagem. A imagem de Jesus Misericordioso, por muitos anos deixada numa igreja de madeira em abandono, somente graças à Divina providência sobreviveu ao perigoso tempo do comunismo.

A incerteza a respeito do destino da imagem acompanhou o pe. Sopocko até o fim da vida. Por diversas vezes ele enviou pedidos confidenciais solicitando que a imagem fosse trazida a Vilna. O pedido para expor a imagem em Ostra Brama (Ausros Vartai), em Vilna, onde pela primeira vez havia sido exposta para a veneração pública, foi transmitido somente em 1982 (já após a morte do pe. Sopocko). O então vigário de Ostra Brama, pe. Tadeusz Kondrusiewicz, achou essa ideia infundada e propôs que a imagem fosse exposta na igreja do Espírito Santo, onde era pároco o pe. Alexandre Kaszkiewicz, o qual, embora inicialmente a contragosto, finalmente concordou com a exposição da imagem. Dessa forma o pe. Grasewicz tomou a decisão de trazer a imagem novamente a Vilna.

Para não provocar os comunistas, interessados pela origem incomum da imagem, numa noite
de novembro de 1986, sem o conhecimento dos habitantes de Nowa Ruda, que se reuniam para rezar na igreja abandonada, no lugar da imagem original foi exposta uma cópia previamente elaborada. Com a ajuda de irmãs religiosas de N. S. da Misericórdia (de Ostra Brama), cientes do que estava ocorrendo, a imagem retirada da moldura de madeira foi enrolada e naquela mesma noite levada a Grodno (Bielorrússia), e mais tarde à igreja do Espírito Santo em Vilna (Lituânia).

Por ordem do pe. Kaszkiewicz, antes de ser exposta no altar, na igreja do Espírito Santo a imagem danificada passou por uma repintura. Essa intervenção modificou sensivelmente a aparência da face de Jesus Cristo, pelo que foi deformada a mensagem visual da imagem. Na imagem foi pintada em cor vermelha a legenda JESUS, EU CONFIO EM VÓS. Além disso, para adaptar a imagem ao nicho do altar, foi enrolada a sua borda inferior e na parte superior foi colado um remate oval adicional.




Essas mudanças não estavam de acordo com a composição artística primitiva da imagem elaborada em 1934 por E. Kazimirowski com a coparticipação de irmã Faustina e do pe. Sopocko. Foi uma ingerência brutal, que diminuiu sensivelmente o valor original da obra.



A imagem exposta a partir na igreja do Espírito Santo em Vilna não despertou especial interesse, tanto dos peregrinos como das autoridades eclesiásticas. A falta de condições adequadas da exposição da imagem contribuiu para novas mudanças desfavoráveis em sua matéria. Somente a partir de julho de 2001, com o consentimento do pe. Miroslau Grabowski, pároco da igreja do Espírito Santo, a Congregação das Irmãs de Jesus Misericordioso pôde abrir um novo núcleo em Vilna, e envolver com a sua proteção essa singular e valiosa imagem de Jesus Misericordioso daquela que surgiu na atmosfera do milagre Divino – da oração e do sofrimento de irmã Faustina, da sua presença e coparticipação.

Graças aos empenhos e à dedicação das Irmãs, em abril de 2003 foi feita uma restauração geral da imagem, que se realizou na casa religiosa das Irmãs em Vilna. Da imagem foram retirados todos os acréscimos pintados, foram consertadas as partes danificadas e removidas as manchas que haviam surgido em consequência de umidade e de tentativas de removê-las com produtos químicos. Em consequência da restauração realizada, devolveu-se à imagem a aparência primitiva de Jesus Misericordioso.



Algumas deformações da tela não puderam ser removidas sem a utilização de cola. Trata-se
de vestígios das várias retiradas da imagem da sua moldura de madeira (orifícios provenientes dos pregos que fixavam a imagem) e dos cerca de quatro centímetros enrolados da borda inferior (em 1987 a imagem havia sido adaptada ao nicho do altar na igreja do Espírito Santo). Essas perdas, embora invisíveis na apresentação da imagem, constituem, no entanto, um traço seu singular e característico.


Dobra da borda inferior da imagem (São visíveis os orifícios deixados pelos pregos,
que permaneceram após a tríplice troca da moldura) Durante a conservação em 2003,
a imagem foi novamente presa na moldura com grampos.



A imagem na igreja do Espírito Santo em Vilnius, Lituânia (1987-2005), antes e após a restauração.


Após uma radical renovação, a imagem voltou à igreja do Espírito Santo  − a igreja paroquial dos poloneses residentes em Vilna. As Santo Missas e as celebrações nessa igreja são conduzidas apenas em língua polonesa.



A fim de proporcionar condições adequadas para a oração individual e a contemplação da imagem de Jesus Misericordioso, o metropolita de Vilna card. Audrys Juozas Bačkis tomou a decisão de transferir a imagem de Jesus Misericordioso da igreja do Espírito Santo à pequena igreja vizinha da Santíssima Trindade, reconsagrada como Santuário da Divina Misericórdia.

As circunstâncias relacionadas com esse acontecimento provocaram discussões controversas em muitos órgãos da imprensa e, com isso, sem querer causaram uma grande promoção positiva, que lembrava a existência do primitivo quadro com a imagem de Jesus Misericordioso em Vilna e a história do seu surgimento, resultante da mensagem da Divina misericórdia transmitida por intermédio da irmã Faustina.



Desde setembro de 2005, a primeira imagem de Jesus Misericordioso é venerada no Santuário da Misericórdia Divina em Vilna, onde em diárias preces de veneração DA SANTA IMAGEM DO SALVADOR as irmãs religiosas e muitos peregrinos confiam o destino do mundo à Divina misericórdia. O metropolita confiou o ministério da oração nesse santuário à Congregação das Irmãs de Jesus Misericordioso.




Adoração perpétua no Santuário da Divina Misericórdia em Vilna, Rua Dominikonu 12


A Congregação das Irmãs de Jesus Misericordioso, fundada pelo beato padre Miguel Sopocko como resposta a uma exigência de Jesus Cristo, é uma comunidade multinacional, contemplativo-ativa, que propaga o culto de Jesus Misericordioso. Há algumas dezenas de anos, as Irmãs realizam fielmente o seu carisma, transmitido pelo fundador, anunciando ao mundo a mensagem da Divina misericórdia. Pela oração e pelo devotado serviço aos semelhantes, elas incessantemente suplicam a misericórdia Divina para o mundo, especialmente a graça da misericórdia para os agonizantes e a graça da bênção Divina para os sacerdotes e as pessoas religiosas.

“Desejo que haja uma tal Congregação”(Diário, 437).

“Incessantemente pedirão a misericórdia de Deus para si mesmas e para todo o mundo, e toda obra de caridade será decorrente do amor de Deus, do qual estão embebidas. Procurarão se familiarizar com esse grande atributo de Deus e viver com ele e esforçar-se para que outros o conheçam e confiem na bondade de Deus”(Diário, 664).



Em 2004, para a sede e a atividade das Irmãs de Jesus Misericordioso, o metropolita de Vilna destinou dois prédios na Rua Rassu 4, pertencentes ao antigo convento das Irmãs Visitandinas.  Nos tempos do comunismo, o convento e os prédios adjacentes a ele foram transformados em prisão, que foi fechada somente em 2008. Um desses prédios foi destinado para ser a casa religiosa, o outro, para servir de albergue permanente para pessoas doentes de câncer − sob o patronato do beato Pe. Michel Sopoćko. A reforma dos prédios arruinados e a sua adaptação às necessidades do funcionamento de uma casa religiosa e do albergue foi realizada graças à generosidade de benfeitores originários de vários países.
Além do ministério da oração no Santuário da Divina Misericórdia, desde 2008 promovem em Vilna a atividade beneficente − proporcionando ajuda aos doentes em suas casas.



Albergue e Casa Religiosa


No dia 6 de junho de 2012 realizou-se a solene bênção do primeiro albergue fixo na Lituânia. A solenidade da bênção do albergue foi precedida por uma missa concelebrada sob a presidência do metropolita de Vilna, o cardeal Audrys Juozas Backis, com a participação do núncio apostólico − o Arcebispo Dom Luigi Bonazzi e do Bispo Dom Arunas Poniskaitis, bem como de algumas dezenas de sacerdotes.





Solenidade da bênção do Albergue Beato Pe. Miguel Sopoćko


Na sua palavra introdutória, o metropolita de Vilna chamou a atenção para o lugar que foi o berço do nascimento do culto da Divina Misericórdia. O metropolita pronunciou muitas palavras calorosas a respeito do beato Pe. Miguel  Sopoćko, de Santa Irmã Faustina, das Irmãs de Jesus Misericordioso e de todos os benfeitores que contribuíram para tornar memorável o lugar onde nos anos de entreguerras residiu o padre Sopoćko, diretor espiritual da Irmã Faustina,  bem como o pintor E. Kazimirowski, que pintou a imagem de Jesus Misericordioso segundo as orientações de Irmã Faustina. No local onde em 1934 por seis meses foi surgindo o quadro, atualmente se encontra a capela da Casa Religiosa das Irmãs de Jesus Misericordioso, visitada por numerosos peregrinos.


Capela da Santa Irmã Faustina, na casa religiosa das Irmãs de Jesus Misericordioso em Vilna, Rua Rassu 4



Para o encerramento da solenidade, foi lida a carta-bênção do Papa Bento XVI dirigida ao metropolita de Vilna.

 “Por ocasião da inauguração do albergue para os doentes incuráveis dedicado ao beato Padre Miguel Sopoćko, na Arquidiocese de Vilna, o Papa Bento XVI, participando espiritualmente desse significativo acontecimento e partilhando a alegria em razão da bem-sucedida realização do projeto em prol do serviço a todos que, tendo chegado ao fim da sua peregrinação terrestre, necessitam de apoio não apenas médico, mas sobretudo espiritual e religioso, a fim de enfrentar a passagem para a outra vida em paz e de maneira digna, à luz dos eternos valores da fé −, apresenta as suas saudações e os seus votos mais cordiais.
A certeza da futura imortalidade e a esperança da salvação lançam uma nova luz sobre o mistério do sofrimento e da morte, bem como despertam no crente uma força extraordinária para se confiar unicamente a Deus.
Invocando a abundância dos dons do Espírito Santo para as Irmãs de Jesus Misericordioso, para os funcionários da estrutura que surge e para os voluntários, a fim de que a obra, a exemplo do Cristo Bom Pastor, produza frutos, pela intercessão da Virgem Maria, Sua Santidade concede de bom grado a Vossa Excelência, às Irmãs Religiosas, e especialmente a todos os pacientes e às suas famílias, a Bênção Apostólica, estendendo-a a todos os participantes da cerimônia”.



Quando em 1947 o padre Sopocko teve de deixar Vilna para sempre, certamente não imaginava que um dia ali seria plenamente realizada a misericórdia, através da ação, da palavra e da oração.



Ilustração no albergue


 “Porque tive fome e não Me destes de comer. Tive sede e não Me destes de beber. Fui forasteiro e não Me recolhestes. Estive nu e não Me vestistes, doente e preso e não Me visitastes (...) Em verdade vos digo: todas as vezes que o deixastes de fazer a um desses pequeninos, foi a Mim que o deixastes de fazer” (Mt 25:42-45).

 


DOCUMENTAÇÃO FOTOGRÁFICA
DA CONSERVAÇÃO DA IMAGEM DE JESUS MISERICORDIOSO


Detalhe da imagem antes da restauração

Remoção do descascamento

Após a remoção do descascamento

Detalhe da imagem após a conservação


A imagem antes da restauração

Após a remoção do descascamento


Remoção do descascamento


A imagem após a conservação 

 (As fotos provêm do arquivo da documentação restauradora de 2003)


A restauração da imagem foi realizada pela Sra. Edite Hankowski-Czerwinski, de Wloclawek (Polônia) e-mail: edycja@autograf.pl, restauradora de obras de arte, formada pela Faculdade de Belas Artes da Universidade Nicolau Copérnico de Torun (Polônia).



“Por meio dessa Imagem concederei muitas graças às almas;
que toda alma tenha, por isso, acesso a ela” (Diário, 570).

Por iniciativa da Fundação dos Apóstolos de Jesus Misericordioso ligada à igreja dos padres Jesuítas de Lodz (doadora e organizadora da conservação da Imagem realizada em 2003), (Veja Cópia do contrato) em marco de 2004, na igreja do Espírito Santo, em Vilnius, foi realizada uma sessão profissional de fotos da primeira Imagem de Jesus Misericordioso. As fotocópias trabalhadas dos 20 cm de slides realizados com uma câmara especial foram disponibilizadas pela Fundação para evangelização universal.

www.merciful-jesus.com

 

 

PRÓXIMO >> A contemplação de Jesus

<< tabela de conteúdo
www.jesus-misericordioso.com

Para cima

 

 

Direitos autorais reservados © Congregação das Irmãs de Jesus Misericordioso
Cópia dos textos e da imagem de Jesus Misericordioso permitida exclusivamente com o fornecimento
do nome completo da fonte de origem ou link ativo para o site:
www.jesus-misericordioso.com

© Tradução: Prof. Mariano Kawka, Mariana Biela